FLD-COMIN e Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa lançam publicações socioambientais

FLD-COMIN e Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa lançam publicações socioambientais
19 de junho de 2019 zweiarts
In Notícias

FLD-COMIN e Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa lançam publicações socioambientais

A Fundação Luterana de Diaconia (FLD), o Conselho de Missão entre Povos e Indígenas (FLD-COMIN) e o Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa atuam na defesa de direitos e para o fortalecimento e protagonismo de organizações e movimentos da sociedade civil. O esforço de sistematização desta atuação, de reflexões e de ideias resultou em diversos materiais publicados ao longo de 2018 e 2019.

A próxima edição do Café com Direitos – rodas de conversa promovidas pela FLD – contará com convidadas e convidados que trarão reflexões sobre o contexto de retrocessos e resistências socioambientais, dialogando com as publicações e livros dessas organizações, que serão lançados neste momento de trocas e aproximações. O Café com Direitos – Resistência Socioambiental será realizado no dia 26 de junho, às 18h30, no Clube de Cultura (rua Ramiro Barcelos, 1853, Bom Fim, Porto Alegre). A entrada é gratuita.

Na semana de 8 a 12 de julho os materiais do bioma Pampa serão lançados em comunidades rurais e escolas públicas, nos municípios de Rosário do Sul, Alegrete, Quaraí, Manoel Viana e São Francisco de Assis, especialmente junto ao público que colaborou com algumas destas publicações e vídeos.

Abaixo, a descrição e os links para o download dos materiais:

Pampa, é aqui que a gente vive! – são duas publicações: uma Revista com jogo de tabuleiro e uma Proposta pedagógica para uso da revista, destinada a estudantes e docentes do 3º ao 5º ano do ensino fundamental, que propõe ampliar a percepção e o auto-reconhecimento da sociobiodiversidade presente no bioma Pampa. Por meio de ilustrações, histórias, contos, curiosidades, atividades e jogos, são abordados saberes e desafios de povos e comunidades do Pampa. Todo o conteúdo foi elaborado com colaboração de pessoas de diversas identidades socioculturais deste bioma. Produzido pela FLD e Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa. Disponível em: www.comitepampa.com.br

Pampa: memórias e saberes do nosso lugar – vídeo de 55min. que traz depoimentos de 20 pessoas – assentadas, kilombolas e pecuaristas familiares – de 5 municípios da fronteira oeste do Rio Grande do Sul. Trata de temas como modos de vida relacionados com o bioma Pampa, ameaças a estes modos de vida e à conservaão do bioma, perspectivas dos povos do campo, além de ser um registro de várias tecnologias sociais implamentadas na região com apoio do projeto Pampa/FLD. O vídeo é instrumento de divulgação dos saberes, memórias, ameaças e esperanças dos povos do Pampa e instrumento de formação sobre a sociobiodiversidade do Pampa junto às escolas. Produzido pela FLD e Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa. Disponível em: www.comitepampa.com.br/videos/

Não era assim…aqui no Pampa – vídeo curta-metragem (5min.) que registra a percepção de comunidades locais da fronteira oeste do Rio Grande do Sul sobre as mudanças climáticas e os recursos hídricos. O vídeo é instrumento de divulgação e formação sobre a temática socioambiental junto às escolas. Produzido pela FLD e Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa. Disponível em: www.comitepampa.com.br/videos/

Aprendendo agroecologia no pátio da Escola – práticas pedagógicas com tecnologias sociais implementadas na EEEF Paulo Freire – publicação elaborada tendo como referência as tecnologias sociais implementadas nesta Escola como cisterna, círculo de bananeira, fossa ecológica, dentre outras. Professoras e professores elaboraram planos de aula, visando uma abordagem pedagógica destas tecnologias sociais. A EEEF Paulo Freire é uma escola do campo localizada no segundo maior assentamento de reforma agrária do RS, o assentamento Santa Maria do Ibicuí, no município de Manoel Viana. Produzido pela FLD, Amigos da Terra Brasil e EEEF Paulo Freire. Disponível em: www.projetopampa.com.br

Ser mulher indígena é… narrativas de mulheres indígenas brasileiras – publicação que mostra a diversidade de compreensões sobre o que é ser mulher entre os povos indígenas. Trás narrativas e imagens de 19 mulheres, de 10 povos indígenas do Brasil, que resistem e lutam por direitos, inspiradas na ancestralidade e na cosmovisão de seus povos, e na busca pelo Bem Viver. Produzido por FLD-COMIN. Disponível em www.comin.org.br

Cerâmica Apurinã: resistência com as mãos de barro – publicação que contou com participação de comunidades e mulheres Apurinã, dos municípios de Pauini e Boca do Acre, no Amazonas que, de forma sensível, criativa e cosmológica foram expressando e dialogando sobre a cerâmica Apurinã. Trata-se de um material didático para as escolas Apurinã destes municípios, visando fortalecer esta prática tradicional, ensinada de mãe para filha e que guarda saberes milenares. Produzido por FLD-COMIN. Disponível em: www.comin.org.br

Material para educação infantil – cartelas com histórias e atividades para trabalhar a temática indígena com crianças de até seis anos de idade. A proposta é que, a partir de materiais concretos que fazem parte do cotidiano indígena – como os bichinhos, grafismos e músicas indígenas – as professoras e professores possam levar esta temática à sala de aula. Produzido por FLD-COMIN. Disponível em: www.comin.org.br

Quebrando preconceitos, construindo respeito: luta e resistência dos Povos Indígenas no Brasil – caderno de estudos e série de 4 vídeos curta-metragens, lançado na semana dos povos indígenas (abril de 2019). Os materiais tem como tem central o preconceito, palavra inexistente nos idiomas indígenas, embora esses povos vivam cercados por ele. Materiais elaborados em conjunto com indígenas, destinados a escolas e outros espaços – formais e informais – de sensibilização e formação, uma vez que é urgente reconhecermos e enfrentarmos o preconceito na sociedade e em cada um de nós. Produzido por FLD-COMIN. Disponível em: www.comin.org.br