FLD participa de Encontro de Povos e Comunidades Tradicionais promovido pela CPT

In Notícias on

FLD participa de Encontro de Povos e Comunidades Tradicionais promovido pela CPT

imagem

No dia 28 de maio ocorreu a quarta edição do encontro de Povos e Comunidades Tradicionais do Rio Grande do Sul, promovido pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), com apoio da Ação Social Diocesana de Santa Cruz do Sul (ASDISC) e do Conselho Indigenista Missionário (CIMI). Realizado na Comunidade Quilombola Rincão dos Negros, no município de Rio Pardo, teve como objetivo proporcionar trocas de experiências entre comunidades tradicionais, especialmente indígenas, quilombolas, ribeirinhas, ribeirinhos, pescadoras e pescadores, além de reflexões coletivas sobre os desafios, formas de organização e possibilidades de articulação. Estiveram presentes cerca de 70 pessoas representando diversas comunidades tradicionais, além de organizações e instituições que atuam na defesa de direitos destes povos e comunidades, dos municípios de Arroio do Meio, Cachoeira do Sul, Cruzeiro do Sul, Porto Alegre, Quaraí, Rio Pardo, Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Vera Cruz.

A Fundação Luterana de Diaconia (FLD) esteve representada pelo assistente de projetos Fernando Aristimunho, que também é representante de comunidade tradicional de pecuarista familiar da região oeste do estado e integra o Comitê de Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa. Este Comitê surgiu de um Encontro de Povos e Comunidades Tradicionais do Bioma Pampa, realizado pela FLD no âmbito do Projeto Pampa, no final de 2015, em parceria com a Articulação Pacari, organização que atua com povos e comunidades tradicionais no bioma Cerrado. 

A representante da CPT, Oldi Helena Jantsch, ressaltou a importância do Encontro tendo em vista o atual cenário político do país com graves ameaças aos direitos já conquistados por Povos e Comunidades Tradicionais.  “Esse é o momento de lutar pela volta da democracia e cobrar a dívida histórica que o país tem com os povos originários e tradicionais” afirmou Oldi. 

Ao final do encontro, as pessoas e organizações presentes reafirmaram a importância de seguir dialogando e articulando iniciativas para o fortalecimento das identidades e das organizações para a defesa de seus direitos.